iPod

quinta-feira, outubro 29

Das coisas fantásticas que temos tempo para ler quando perdemos a vida no cabeleireiro


Confesso que não sei como há mulheres que gostam daquilo! Refiro-me a passar longaaaaasssss horas sentadas num cabeleireiro! Eu só lá vou por "obrigação" e ao fim de meia hora já estou farta. Para além disso, se me esqueço de levar um livro sou sempre fustigada com a sugestão de ler uma das habituais revistas. E confesso que para ter desejo de me deprimir tenho de estar num dos meus excelentes dias!
Hoje não levei livro, mas levei a Sábado. Têm vindo parar cá a casa, em 2ª mão de mãe mas, embora com muita pena, não tenho tido disponibilidade mental para elas. Hoje ao pequeno almoço comprei a desta semana e prometi a mim mesma que só a largaria no osso.

Vem todo este rol de confissões e lamurias a propósito da capa e os segredos de Dan Brown.
A entrevista está deveras interessante e embora deva ser das raras criaturas que nunca sentiu apelo pelas suas obras - nem no cinema! - a verdade é que gostei de conhecer o autor.
Mas confesso que o que mais me chamou a atenção foi aquilo que, quem sabe, lhe terá em muito influenciado a sua veia. É este o excerto:

Como eram os Natais de caça ao tesouro?
Na manhã de Natal, não havia presentes à volta da árvore, apenas um envelope. Abria-mo-lo e havia um código ou um puzzle, qualquer pista que nos levava para outro sitio. Seguíamos para o frigorífico, abria-mo-lo e havia outra pista. Fazíamos isto muitas vezes até encontrarmos os presentes. O jogo durava cerca de 20 minutos.

E se isto pode ter dado grandes ideias a Dan Brown, confesso que a mim me encantou e me deu outras tantas.
Embora com muita pena minha a vida me reserve poucas crianças de família à volta na noite de Natal, nunca sabemos o que a vida nos reserva...
Não vá a M. cumprir a promessa de ter cinco filhos adoptados, pelo sim pelo não, já tomei devida nota!

12 comentários:

  1. 1º Adoro o Dan Brown... já li todos os livros dele e já tenho o novo em INGLÊS para ler... estou só a acabar o ultimo livro da saga do Crepusculo para começar a lê-lo!

    2º Tb detesto as horas de espera no cabeleireiro... mas tb como só vou uma vez por ano... é cortar secar e andar!

    3º Essa ideia dos presentes eu tb já fiz isso quando era miuda mas...em vez de envelope com enigmas era tipo: "Vai de gatas atá ao quanto e procura debaixo da cama"... depois "vai ao pé coxinho até à cozinha e procura nos armários"... e assim por diante. Era super giro!

    4ª A tua M. tem um coração de ouro!

    Beijocas aromáticas****

    ResponderEliminar
  2. Paula: tem mesmo, não duvides!
    Caça ao tesouro do presente, nunca lhe fiz. Mas todos os anos tem um presente simbólico junto à lareira, no dia 25 de manhã. Para explicar aqui é longo, mas prometo um post sobre isso em Dezembro.
    Beijo grande e muito obrigada pela tua constante e querida presença por aqui.

    ResponderEliminar
  3. H: pois, eu até acho que me enganei no termo. acho que ficava melhor: não vá a M cumprir a ameaça...
    eu sempre quis adoptar um... a rapariga vai pensando em grande! :)

    ResponderEliminar
  4. acho a ideia da caça aos presentes fantástica!!

    ResponderEliminar
  5. eu também... só tenho pena de ter de esperar pelos meus cinco netos!

    ResponderEliminar
  6. deixa depois ainda é mais divertido de cajadinho, lllooll!!!

    ResponderEliminar
  7. ai que a menina é tãããooo gira!

    ResponderEliminar
  8. como diria uma pessoa que ADOROOOOO...
    é. é gira que se farta! ;)

    ResponderEliminar

O teu raio de sol...

Blog Widget by LinkWithin