iPod

sexta-feira, outubro 23

Love happens


capa e entrevista
- Elle/Outubro-

Por acaso até não sou de loiras e se fosse homem desconfio que também não seria. Nada contra, é apenas uma questão de gosto. Quando acho que uma mulher é bonita, e que quando crescer quero ser como ela, invariavelmente é morena. Mas há excepções. Gwyneth Paltrow e Jennifer Aniston são duas delas. Cada uma por suas razões.
A propósito da estreia do seu último filme - Amor por acaso - que ontem chegou a uma sala de cinema perto de si, perguntam-lhe:

Acredita que o amor se planeia, que pode ser procurado?

J.A. - Não, não acredito em nada disso. Não acredito que seja controlável. Repare: qualquer pessoa pode olhar para o seu historial amoroso e compreender que o resultado não teve nada a ver com as intenções iniciais. Comigo é a mesma coisa. Aquilo por que tenho passado não foi planeado por mim. O melhor que podemos fazer é aceitar o que nos vai acontecendo. Todos os dias sou surpreendida pela vida.

Embora não acredite em acasos, eu podia dizer exactamente o mesmo.
Só não consigo ficar igual a ela...



8 comentários:

  1. Não sei se concordo...

    Quando começas a andar com uma pessoa é por amor?

    Estou convicto que não é. O amor, quando aparece, é muito depois.

    Não se planeia? Talvez. Mas deseja-se.
    Se começas uma relação e chegas a um estado em que Amas alguém, caramba, fizeste por isso (e ele, eventualmente, também).

    Ou não?

    Aceitar o que nos acontece e ser surpreendido pela vida... lugares comuns que cabem em mil situações.

    Não sendo um adepto de loiras, a Gwyneth Paltrow... é um pedaço de mulher!!!! Com postura e classe.
    :)

    ResponderEliminar
  2. Ai Miguel, tantas perguntas num comentário só??? Não te importas que vá respondendo a prestações??? É que eu não tenho os teus super-poderes de ET para dar respostas tão longas! Além disso fazes perguntas dificeis em horas menso fáceis!
    Quanto a menina Gwynet, concordo inteiramente. Não fosse ela British!

    ResponderEliminar
  3. A Paltrow melhorou bastante com a idade.
    Há pessoas que têm essa capacidade ou sorte, não sei. Quando era mais nova não lhe achava piada nenhuma.

    BTW, foram só 2 perguntas e uma muito simples! A outra... enfim...

    Mas nem precisas responder pois era só para dar a minha opinião que não concordo que assim seja.

    *

    ResponderEliminar
  4. Miguel, vou tentar ser concisa. Eu acho que o Amor, simplesmente, acontece. Depois cresce ou não. Acaba ou não. Muda ou não. Mas acontece, sem aviso prévio ou grandes justificações iniciais. Claro que quando daí progride há muita coisa que fica explicada. Mas normalmente só a posteriori. A distância dos acontecimentos ajuda sempre, quer nas coisas más, quer nas boas. Acho que nesse aspecto, o Amor não é excepção. Respondi?

    ResponderEliminar
  5. BTW.

    O Amor acontece, claro.

    Mas não como está implicito no que ela diz e que parece ser o que concordas. Não é essa a maneira como eu acho que as coisas acontecem.

    Tu não vês uma pessoa e acontece o Amor!
    Nem tu, nem ninguém, me convencerá disso.

    Tu vês/conheces uma pessoa e ficas interessada nela. Pode haver 4, 5, 6 razões diferentes. Talvez nem tantas.
    Uma será o aspecto fisico, que é a razão que aproxima as pessoas mais rapidamente. Outras serão a personalidade, o tipo de conversa, ser engraçado/a, e pouco mais.

    Depois do interesse, e é sempre por aí que começa, entrarás (ou não) numa fase de gostar da pessoa. E é o crescer desse gostar que chegará ao Amor (ou não).

    O Amor acontece, de facto. Mas é algo que cresce dentro de ti, quase sem tu dares conta. É esse gostar cada vez mais que um dia, pimba, acontece o Amor.

    Obviamente eu falo de Amor mesmo. Esse sentimento que te faz fazer tudo pela pessoa que Amas. Às vezes coisas até irracionais.

    Porque há muito amor espalhado por aí. Basta saires à noite e, olha, o amor está sempre a acontecer. E nem precisas saber o nome das outras pessoas...

    Para mim, só há um Amor.

    O resto é diferente. É gostar, é estar com vontade de dar uma "queca" (já é a 2ª vez que tenho de usar este termo hoje!), é ser giro estar junto, é andar com alguém que toda a gente deseja... olha, é o que quiseres. Pode ser mil coisas. Pode até ser só vontade de dizer a palavra.

    BTW, hoje as pessoas até "amam aquelas botas"!!
    Enfim...
    Como uma vez comentaram no meu sitiozinho: "uns Amam, outros pensam que Amam!".

    E tu já me deste um bom exemplo disso, lembras?

    Aqui para nós que ninguém nos ouve nem lê, há muita gente por aí que nem desconfia o que é o Amor mas que acha que já amou 30 vezes...

    Respondi?

    ResponderEliminar
  6. deixem-me ver estão a fazer uma dissertação para meu conhecimento? não me peçam a opinião não percebo nada disso.

    ResponderEliminar
  7. por mim, não. agora não sei se o Miguel tem necessidade de te explicar alguma coisa.
    eu acho que tu percebes demasiado do assunto para me aventurar a conversas destas contigo!

    ResponderEliminar
  8. Porquê para ti, esquiló?

    O Miguel não tem necessidade mas gosta de explicar o que pensa. Pode estar certo ou errado. Mas é o que pensa.

    Outra coisa, BTW, o Amor não cresce. Não no sentido que dizes. Existe ou não.

    Aliás, e perdoa-me a franqueza, até me custa a compreender que algumas coisas que escreveste aqui sejam mesmo tuas.

    O Amor é um estado, não digo que só tenha um grau mas se tem alguns são muito poucos, terminal do gostar.
    Isto não é facil de explicar mas imagina que existia um grafico de 0 a 10 do gostar. 0 era não gostares e 10 Amares. Eventualmente o 9 poderia ser Amares também. Não penso que haja dois graus de Amar (Amar menos e Amar mais?) mas até concigo aceitar isso. Agora de 1 a 8 (eventualmente 9), sim, são diferentes gruas de gostar.

    Portanto, o Amor acontece, de uma forma natural e (quase) sem dares por isso quando passas do 8 para o 9. Eventualmente, como disseste, poderá crescer para o 10.

    Ao contrário é a mesma coisa.
    Amas alguém e essa relação acaba. Não deixas de Amar por causa disso. Vais continuar a Amar na mesma. Por isso (e não só) é que se sofre tanto. Mas um dia vais acordar e já não é Amor que sentes. Morreu. Ou, como eu costumo dizer, foi assassinado.

    Amas mais a M hoje do que Amavas há 3 anos?
    Pensas que a poderás Amar mais do que Amas hoje?

    Tenta responder a isto, francamente, e depois diz-me se o Amor cresce ou não...

    ;)

    ResponderEliminar

O teu raio de sol...

Blog Widget by LinkWithin