iPod

domingo, junho 14

Faz-me sentido



Amar é dizer nunca vou deixar que nada de mal te aconteça. Porque embora saibamos que há coisas que não conseguimos evitar e que nem tudo está ao nosso alcance, quem ama deseja sempre proteger, não é?

9 comentários:

  1. é verdd!
    qto ao meu post, é simplesmente derivado do cansaço, é o reflexo da desvitalização contra a qual diariamente me debato... :/ mas no fundo, viva sempre o amor!!! :) bj

    ResponderEliminar
  2. E será... para sempre?

    Amar é colocar o outro em primeiro lugar... Acho eu. Talvez por isso se ame tão pouco.

    ResponderEliminar
  3. Frag: um beijo, cheio de energia, para recarregar essa bateria de mãe-coragem-princesa-lutadora. E um sorriso!

    ResponderEliminar
  4. Apetecia-me tanto dizer o óbvio...
    NADA É PARA SEMPRE MUITO MENOS O AMOR...(Felizmente!)
    Seria então o maior dos fenómenos já que tudo no Universo está em mutação constante... O que nós gostaríamos que fosse e a realidade são duas coisas muito diferentes!


    UMA COISA É UMA COISA, OUTRA COISA É OUTRA COISA!

    E.....já fui senão ainda me batem (livra!)

    ResponderEliminar
  5. Miguel: acho que é a primeira vez que não estou de acordo contigo. Não acho que amar seja colocar o outro em primeiro lugar. Ou pelo menos não o será se com isso se deixar de ter amor próprio. Até porque quem nos ama também não deseja isso. Amar é partilhar. Para sempre? Acho que raramente alguma coisa é para sempre da mesma forma. Mas o amor, seja qual for a forma que assuma contempla sempre o desejo de proteger. Acho que esse sentimento é transversal a qq tipo de amor, desde o amor dos pais pelos filhos, ao amor entre duas pessoas, passando pelo amor que temos por todas as pessoas que fazem parte da nossa vida, como os amigos. Amar é estar lá, pelo outro, pro que der e vier. É a entrega altruista de uma parte de nós em prol do bem estar da pessoa a quem queremos bem. Só se protege quando se quer bem. A minha dúvida é mais se quem não protege também quer...

    ResponderEliminar
  6. Levikat: digo o mesmo que disse ao Miguel. Eu continuo a achar que o Amor é para sempre. O que pode mudar é a forma como o vamos adequando às diversas evoluções na nossa vida. Claro que por vezes se deixa de amar, mas nesse caso é que acho que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.
    Acho que temos tendência a desencantar-nos com o Amor quando na verdade nos desencantamos é com a forma como as pessoas o banalizam (e por vezes até nós mesmos) e não vivem em profundidade. Mas isso não tem nada a ver com o sentimento mas sim com os seus agentes. Amor é entrega, quase incondicional (porque acho que não vale tudo, só cabe tudo), o pior é que isso dá cá uma trabalheira!!!

    ResponderEliminar
  7. Menina,

    Vou tentar ser curto... aqui!

    Respondi num post!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Dá uma trabalheira mas a recompensa não tem preço!

    Pode-se até considerar uma pechincha...

    ResponderEliminar
  9. Eu queria dizer mais ou menos o mesmo..Só que não fui tão poeticamente clara e precisa!
    Que beleza que é escrever assim...
    Mas voltando atrás eu só comentei mesmo o facto de o AMOR ir mudando não ser algo estático,que se dá como adquirido e que é para sempre!!!
    Acho, para mim , que é um erro achar que está tudo feito só porque se ama, porque aí é que se está a começar.
    Pois dá trabalho e na maioria das vezes só um quer trabalhar, o outro espera que tudo seja feito, para que nada mude...
    Mais ou menos assim "um ama e o outro deixa-se amar"...
    Não estou muito desencantado com o AMOR, só com o trabalho que se tem com ele e por ele!!!
    Mas acho que não se deve desistir dele, tomando todas as formas que nós(e os outros) lhe vamos dando!
    Bjo
    L.

    ResponderEliminar

O teu raio de sol...

Blog Widget by LinkWithin